INTEGRAR É COLORIR!

Publicado: 21 de Agosto de 2014

"INTEGRAR" Portadores de Necessidades Especiais no mercado de trabalho é uma forma de COLORIR.


A inclusão dos portadores de necessidades especiais no mercado de trabalho, nas escolas e no convívio social, é uma forma de contribuir para a construção de uma sociedade mais justa e igualitária.

Este programa nasceu há alguns dias, ainda é um bebê que necessita de muita atenção e preparos, mas já se tornou para toda a diretoria e voluntários da instituição COLORIR uma de nossas grande metas - INTEGRAR É A PALAVRA DE ORDEM!
 

A inclusão dos portadores de necessidades especiais na sociedade orientou na elaboração de políticas e leis na criação de programas e serviços voltados ao atendimento das necessidades especiais de deficientes nos últimos 50 anos. Este parâmetro consiste em criar mecanismos que adaptem os deficientes aos sistemas sociais comuns e, em caso de incapacidade por parte de alguns deles, criar-lhes sistemas especiais em que possa, participar ou tentar acompanhar o ritmo dos que não tenham alguma deficiência específica.

Diante disso, a sociedade deve mudar suas estruturas e serviços oferecidos, abrindo espaços conforme as necessidades de adaptações específicas para cada pessoa com deficiência a serem capazes de interagir naturalmente na sociedade. Todavia, este parâmetro não promove a discriminação e a segregação na sociedade. A pessoa com deficiência passa a ser vista pelo seu potencial, suas habilidades e outras inteligências e aptidões.

Dessa forma a Inclusão dos Portadores de Necessidades Especiais, de uma forma em geral, tem como foco destacar a importância de se estar discutindo e buscando meios adequados, para que possa haver um processo de inclusão que atinga todas as classes sociais. Tem-se como expectativa, conscientizar o Governo Federal, Estadual e Municipal, para que estes implemente em maiores escalas, para que possam alcançar a todos, programas ou instituições que qualifiquem os PNE’s para uma vida social saudável, através de uma melhor educação e qualificação para o mercado de trabalho, consolidando assim, os direitos e garantias fundamentais inerentes a todos os cidadãos.

O objetivo geral deste estudo, é encontrar soluções sobre o que se pode fazer, para que haja um processo de inclusão dos PNE’s de uma forma em geral e incondicional que possa alcançar a todos, ajudando a solucionar esse problema que atinge todas as classes sociais.

Tem-se como objetivos específicos, identificar o que é necessário para que haja contratações de portadores de necessidades especiais pela empresas; demonstrar quais são as dificuldades que uma pessoa portadora de deficiência enfrenta nas escolas, em unidades públicas e privadas; buscar soluções para coibir condutas daqueles que desrespeitam direitos e garantias que são assegurados aos portadores de necessidades especiais.
 

Para a Oscip COLORIR percebemos que se abriu mais uma porta para oferecermos a sociedade e as empresas um serviço de qualidade de capacitação humana e técnica da inclusão dos PNEs no Mercado de Trabalho como um meio para dar sustentabilidade a nossa Organização, pois tal ação demanda, estudo, planejamento, capacitações e acompanhamento, bem como o descobrir dos talentos oferecidos por estes colaboradores tão especiais no dia-a-dia das responsabilidades do cotidiano em uma empresa.
 

                                     
"Quando eu procurava emprego eu sempre ouvia que o meu tipo de deficiência demandava maior gasto e investimento da empresa, assim nunca conseguia nenhuma oportunidade. Quando apareceu esta agarrei com todo carinho e desejo de superação já pensando em formas de contribuir com a empresa Elkem e a instituição COLORIR que presto serviço, já estou estudando inglês através da internet e já estou buscando um curso de nível superior em RH para me aprimorar a cada vez mais. Trabalhar no COLORIR é ver a teoria das historias que eu ouvia a Tia Rita e o Tio Eugênio contar na escola e ver que realmente é possível concretizar sonhos! O meu só está começando!"                                                                                                                                       Relato de Ewerton Ferreira

 


Compartilhe: